segunda-feira, 16 de junho de 2014

Vaza lista de patentes que fazem Microsoft lucrar com o Android


Se você é o tipo de pessoa que costuma dizer que “a Google dominará o mundo”, prepare-se para mudar rapidamente de ideia. Todos nós já sabíamos que a Microsoft sempre possuiu o registro de inúmeras patentes necessárias para a fabricação de celulares com Android – e que isso trazia um lucro de pelo menos US$ 2 bilhões anuais para a empresa fundada por Bill Gates.


O que ninguém fazia ideia até então era a quantidade de licenciamentos pelos quais a companhia recebe royalties sobre o SO da Google. De acordo com um documento vazado pelo governo chinês e divulgado pelo site norte-americano Ars Technica, a Microsoft possui pelo menos 73 patentes estritamente necessárias para o desenvolvimento de um smartphone com sistema operacional Android – acredita-se que há alguns modelos que utilizam cerca de 127.

Uma grande parte dos licenciamentos foi obtido através do Rockstar Consortium, um consórcio de empresas criado em 2011 para a aquisição de patentes de telefonia da finada operadora canadense Nortel. A lista vazada pode ser baixada através deste link e foi elaborada por uma requisição do Ministério do Comércio da China (MOFCOM), que investigava a recente aquisição da Nokia com o intuito de evitar um possível monopólio do mercado. Ao todo, 310 patentes da marca são citadas no documento.

Estratégia bilionária

O plano da Microsoft parece simples: controlar a produção (e até mesmo a evolução) de smartphones com Android ao pedir royalties nada modestos para as OEMs interessadas em usar o sistema operacional. Contudo, com o vazamento dessa lista, a estratégia da empresa pode ter perdido força, visto que até então as fabricantes não tinham a menor ideia de todas as patentes controladas pela companhia e dificilmente podiam evita-las durante o planejamento de seus gadgets.

Não há uma estimativa do investimento necessário para o licenciamento de todas as patentes necessárias para a fabricação de um aparelho, mas certamente não estamos falando de valores irrisórios – visto que, novamente, a empresa recebe pelo menos US$ 2 bilhões anuais apenas com royalties.

Fonte: Ars TechnicaTu Experto
Imagem: Digital Trends