quinta-feira, 10 de julho de 2014

Precisando emagrecer? Confira quais são as 5 melhores dietas do momento

Se você é do tipo que se cuida e gosta de estar sempre na linha, então, é bem provável que você conheça e até tenha seguido alguma das muitas dietas da moda que existem por aí, como é o caso da dieta paleolítica, a Dukan, a da proteína e a do índice glicêmico, por exemplo. Mas, quais desses regimes realmente são eficazes?
E mais: apesar de todas as semanas surgirem novos métodos milagrosos para ajudar as pessoas na perda de peso, quais deles são saudáveis e seguros ao mesmo tempo em que oferecem os resultados prometidos?

As melhores

Para descobrir quais são as melhores dietas entre as centenas que existem, o pessoal do US News & World Report reuniu um grupo de especialistas — formado por nutricionistas, especialistas em obesidade e doenças como o diabetes e problemas cardíacos, além de psicólogos — para julgar uma lista de dietas famosas, que distribuíram notas baseados em uma escala de 0 a 5 pontos.
Os regimes foram avaliados em várias categorias — facilidade de seguir, habilidade de produzir resultados em curto e longo prazo, aspecto nutricional, segurança e potencial em prevenir e ajudar no controle de determinadas doenças —, e os especialistas ainda incluíram suas opiniões profissionais e até dicas relevantes sobre os planos. No total, 32 dietas foram examinadas, e você pode conferir quais foram as cinco que se saíram melhor a seguir:

1ª colocada: Dieta Dash

NOTA: 4,1.

Este regime foi desenvolvido inicialmente para ajudar pacientes com problemas de hipertensão. No entanto, um pequeno ajuste transformou a Dash em uma dieta para perda de peso também. Segundo os especialistas, este método ficou adiante dos demais por ser nutricionalmente completo, seguro, por ajudar a prevenir e controlar o diabetes e por promover a saúde coronariana.
A dieta está baseada no consumo de alimentos que todo mundo está careca de saber que fazem bem — como frutas, hortaliças, grãos integrais, laticínios com baixo teor de gordura e proteínas magras —, e na redução no uso do sal e de itens pouco saudáveis, como carne vermelha, doces e produtos recheados de calorias e gordura.

2ª colocada: Dieta TLC

NOTA: 4.

A sigla TLC vem de Therapeutic Lifestyle Changes — ou Mudanças Terapêuticas no Estilo de Vida, em tradução livre —, e a dieta está focada, como o próprio nome sugere, na adoção de hábitos alimentares saudáveis e na prática de exercícios. O principal objetivo do regime é o de reduzir os níveis do colesterol LDL, ou seja, o “ruim”. Para isso, o consumo de gorduras saturadas não deve ultrapassar 7% do total de calorias diárias.
Para quem quer perder peso, o total de calorias diárias não deve ser maior que 1600 para os homens e 1200 para as mulheres. Além disso, o programa também inclui o aumento no consumo de alimentos ricos em fibras — como hortaliças, frutas, grãos integrais, laticínios com baixo teor ou sem gordura, peixes e aves sem pele — e, se após algumas semanas os níveis de colesterol não melhorarem, a ingestão de proteínas solúveis pode ser recomendada.

3ª colocada: Dieta da Clínica Mayo

NOTA: 3,9.

A famosa dieta desenvolvida pela Clínica Mayo tem como objetivo mudar maus hábitos e, além de promover a saúde, ajudar na perda e manutenção do peso. O regime está dividido em duas etapas, sendo que a primeira tem duração de duas semanas e inclui uma série de mudanças de atitude, como parar de comer diante da televisão, incorporar a prática de atividades físicas e adotar estratégias positivas que ajudem na transformação.
Exemplos dessas estratégias são o corte no consumo de doces e a ingestão de frutas, hortaliças e outros alimentos saudáveis. Nada é completamente proibido, e quem segue este regime vai aprendendo aos poucos qual a quantidade de cada alimento e quantas calorias diárias são necessárias para ajudar no emagrecimento ou manter o peso.
Assim, a segunda etapa consiste em desenvolver e adotar um plano alimentar pessoal que seja ideal e possa ser seguido durante toda a vida.

4ª colocada: Dieta Mediterrânea

NOTA: 3,9.

Esta dieta está baseada alimentação típica dos povos que vivem em países bordeando o Mediterrâneo, como a Espanha, Grécia, Marrocos e Turquia. O índice de problemas cardiovasculares e doenças como o câncer nessa região é menor do que outras partes do mundo, e a ênfase está no consumo de frutas, leguminosas, hortaliças, azeite de oliva, peixes e frutos do mar, derivados do leite, frutos secos, especiarias e vinho tinto — moderadamente!
Além disso, o objetivo é reduzir a ingestão de produtos industrializados, ricos em gordura e açúcar, carnes vermelhas e gorduras de origem animal, e adotar um estilo de vida mais ativo.

5ª colocada: Vigilantes do Peso

NOTA: 3,9.

Baseado em um sistema de pontos — definidos a partir do conteúdo de gordura, fibra, carboidrato, proteína e calorias de cada alimento, e em quanta energia é necessária para queimar cada um deles —, basicamente, o regime proposto pelos Vigilantes do Peso permite que as pessoas comam o que tiverem vontade, contanto que não ultrapassem a quantidade de pontos diários.
Os pontos são calculados com base na idade, sexo, peso e altura de cada um, e é possível encontrar listas com os valores de mais de 40 mil alimentos para consulta. Comidas processadas, evidentemente, têm a pontuação mais baixa, enquanto que a maioria dos vegetais e frutas frescas não contam pontos. Já os sucos naturais, frutos secos e vegetais ricos em amido contam mais pontos, pois têm mais calorias.
Assim, com este método bem flexível, as pessoas vão aprendendo a fazer escolhas mais saudáveis e a administrar melhor o consumo dos alimentos mais ricos em calorias, substituindo e incorporando itens ao cardápio de acordo com o gosto pessoal.
Conforme mencionamos acima, a equipe de profissionais que participou da avaliação examinou um total de 32 ditas. Só para título de informação, as cinco que se saíram pior foram a dieta ácido-alcalina (nota 2,6), a do fast food (nota 2,5), a Atkins — ou da proteína, com uma nota 2,3 —, a dos alimentos crus (nota 2,3) e, empatadas como as piores estão a Dukan (nota 2) e a dieta paleolítica (nota 2).
Caso você tenha se interessado em seguir alguma das dietas que listamos nesta matéria, sugerimos que você converse com um médico ou nutricionista para que esse profissional o ajude a escolher o melhor regime para você.